Terça-feira, 28 de Novembro de 2006

Nem sempre valorizamos o que temos de bom...

 

           

.

      «Certa vez, um grande amigo do poeta Olavo Bilac queria muito vender uma propriedade, de facto, um sítio que lhe dava muito trabalho e despesa. Reclamava que era um homem sem sorte, pois as suas propriedades davam-lhe muitas dores de cabeça e não valia a pena conservá-las. Pediu então ao amigo poeta para redigir o anúncio de venda do seu sítio, pois acreditava que, se ele descrevesse a sua propriedade com palavras bonitas, seria muito fácil vendê-la.

      E assim Olavo Bilac, que conhecia muito bem o sítio do amigo, redigiu o seguinte texto: "Vende-se encantadora propriedade onde cantam os pássaros, ao amanhecer, no extenso arvoredo. É cortada por cristalinas e refrescantes águas de um ribeiro. A casa, banhada pelo sol nascente, oferece a sombra tranquila das tardes, na varanda."

      Meses depois, o poeta encontrou o seu amigo e perguntou-lhe se tinha vendido a propriedade.

      "Nem pensei mais nisso", respondeu ele. "Quando li o anúncio que você escreveu, percebi a maravilha que eu possuía."

 

      Algumas vezes, só conseguimos enxergar o que possuímos quando pegamos emprestados os olhos alheios.»

                                                                  Maria Salette, Wilma Ruggeri, Jota Lima

publicado por Cris às 22:07
link do post | comentar | ver comentários (11) | favorito
Domingo, 26 de Novembro de 2006

Mário Cesariny

"e é preciso correr é preciso ligar é preciso sorrir
        é preciso suor
é preciso ser livre é preciso ser fácil é preciso a roda
        o fogo de artifício"

                       (...)
                             
Mário Cesariny de Vasconcelos

publicado por Cris às 22:22
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
Sexta-feira, 24 de Novembro de 2006

"Pelo sonho é que vamos..."

     

.

Impressão Digital

Os meus olhos são uns olhos.
E é com esses olhos uns
que eu vejo no mundo escolhos
onde outros, com outros olhos,
não vêem escolhos nenhuns.

Quem diz escolhos diz flores.
De tudo o mesmo se diz.
Onde uns vêem lutos e dores
uns outros descobrem cores
do mais formoso matiz.

Nas ruas ou nas estradas
onde passa tanta gente,
uns vêem pedras pisadas,
mas outros, gnomos e fadas
num halo resplandecente.

Inútil seguir vizinhos,
querer ser depois ou ser antes.
Cada um é seus caminhos.
Onde Sancho vê moinhos
D. Quixote vê gigantes.

Vê moinhos? São moinhos.
Vê gigantes? São gigantes.

                      António Gedeão

      ... a minha homenagem, hoje, vai para o grande poeta, António Gedeão, no dia em que se completam cem anos do seu nascimento. Poeta extremamente sensível, cantou na sua obra, a vida aliada ao sonho...

        "Pelo sonho é que vamos... basta a fé no que temos."

        E não me fico por aqui no que diz respeito a homenagens! Hoje, o meu dia terminou da melhor forma: falei com uma grande amiga que não vejo há alguns anos... Fez-me tão bem falar com ela... Falámos, entre tantas coisas, de "energias positivas", de acreditar naquilo que queremos e conseguimos fazer... Tenho lido em alguns blogues amigos sobre o facto de não haver coincidências!! Foi óptima esta partilha! Obrigada D.

      Ainda há mais!! Amiga Sancha, que surpresa linda! Os nossos meninos são, realmente fantásticos... que cresçam assim, amigos e unidos, acima de tudo, sempre com motivos para sorrir desta forma!!

      "Pelo sonho é que vamos... basta a fé no que temos."

.

                                              BOM FIM DE SEMANA!!  

publicado por Cris às 23:28
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
Quarta-feira, 22 de Novembro de 2006

O ponto alto do dia...

  ... sintetizado nesta frase:

       

“Pior, mas muito pior mesmo do que as lágrimas de crocodilo, são os sorrisos de crocodilo.”

                                              Mário Quintana

.

gfgfgfgfg

Curiosidade: Entende-se a locução «chorar lágrimas de crocodilo» como a manifestação de um falso arrependimento, de hipocrisia ou insincero desgosto. Provém de uma crença de que os crocodilos do Nilo faziam ruidosas demonstrações de choro para atrair os passantes que, ao procurarem saber quem chorava, eram devorados pelos répteis. (in: Dicionário de Expressões correntes, Orlando Neves)

.

publicado por Cris às 23:09
link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito
Terça-feira, 21 de Novembro de 2006

Ser mãe é...

 

                  

 

      «Tom  nasceu com um problema de surdez parcial. Certo dia, ao voltar da escola, trouxe o seguinte recado da sua professora: "Sinto muito comunicar que o seu filho não tem capacidade para aprender. Sugiro que o retirem da escola".

      Em vez de deprimir-se com o recado da professora, a mãe do garoto pensou: "A professora deve estar enganada, o meu filho tem capacidade para aprender qualquer coisa. De agora em diante, eu mesma serei a sua professora." E, a partir daquele instante, ela assumiu também a instrução escolar do filho.

      O menino Tom - era assim que a família de Thomas Edison o chamava - tornou-se um jovem muito criativo e, graças à dedicação da sua mãe, transformou-se num grande inventor. Criou não somente a lâmpada, mas também a câmara fotográfica, o mimeógrafo, o fonógrafo, o filme movimentado, o gravador, o microfone e mais mil outras invenções.»

      Grande virtude, através da qual frutificam todas as outras, é a perseverança de uma mãe.

                                                                 Maria Salette, Wilma Ruggeri, Jota Lima

publicado por Cris às 22:51
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
Sexta-feira, 17 de Novembro de 2006

Finalmente a Terapia da Fala...

             

 

      Depois de adiada por três vezes, três semanas depois, lá conseguimos assistir, enfim, à primeira sessão de Terapia da Fala com o Duarte, no Hospital da nossa área de residência. 

      Como era de esperar ele não disse nada! Encolheu-se no meu colo, escondeu a carita no meu peito e assim ficou uns bons minutos. A Terapeuta tentou amenizar a situação conversando connosco sobre o Duarte até ele se sentir mais à vontade. Ao fim de alguns (muitos) minutos o Duarte começou a "namorar", de longe, a estante dos brinquedos... saiu do meu colo (costas voltadas para a Terapeuta!) e dirigiu-se lentamente à dita estante. Observou, tocou, olhou a medo para a terapeuta... agarrou o brinquedo que lhe chamara a atenção e trouxe-o para junto de mim! Explorou, mexeu, construiu e... primeira pequeníssima vitória, entregou o brinquedo à Terapeuta!

      Ficámos por aqui, iniciámos apenas a fase do enamoramento. Só se poderá trabalhar a fala do Duarte quando ele estiver disposto e disponível... conquistado, enfim, pela Terapeuta!

      Pelo menos quinze sessões iremos tentar. Depois, a sua evolução (ou não) ditará o futuro! A próxima sessão, infelizmente, só terá lugar a 15 de Dezembro mas, a partir daí irão suceder-se ao ritmo de uma a duas por semana.

      Entretanto a fala / linguagem do Duarte tem sofrido uma ligeira evolução. Sinto que se esforça um pouquinho mais por repetir o que lhe dizemos mas desiste facilmente e os sons articulados não se parecem muito com palavras. Pelo menos já há uma tentativa. Há "palavras" que já lhe entendemos e que surgiram fruto de uma repetição constante das mesmas por nós. É o caso de mãe, pai e mano - as mais correctas, e paco (casaco), (avô ou avó), iau (gato), ião (leão), cãão, titi (xixi), pópó...

       Em resposta à questão da terapeuta: sim, sinto que o Duarte pronuncia os sons de forma um pouco nasalada, espero que não passe disso mesmo - uma sensação... temos tanto receio que isso aconteça que acabamos, muitas vezes, por ver coisas onde elas não existem! Teremos de aguardar...

      A Sofia, cujo bebé nasceu com o mesmo problema do Duarte, tem no seu cantinho muita informação sobre estes casos, disponível a quem quiser conhecer melhor, tudo o que diz respeito às Fendas Lábio Palatinas .  Este assunto, infelizmente tem sido um pouco esquecido em termos de apoio e divulgação a familiares e amigos de crianças que nascem com este problema, e à comunidade em geral já que se trata de uma situação que ocorre uma vez em cada mil e oitocentos nascimentos (não é tão rara assim!).

      Felizmente, pouco a pouco vai-se criando por aqui uma pequena comunidade de pais de crianças, designadas "doentes fissurados" (nome que me soa tão mal!), cuja preocupação principal é ver os seus bebés crescerem com o máximo de qualidade de vida e com a garantia de que estes usufruam das mesmas oportunidades dadas a todas as crianças ditas normais.

      Deixo, então, um grande beijinho à Sofia, à Rita, à Gisela e, especialmente, aos seus bebés lindos...

      E a todos vós que me visitam: votos de um ÓPTIMO FIM DE SEMANA!

publicado por Cris às 23:49
link do post | comentar | ver comentários (13) | favorito
Segunda-feira, 13 de Novembro de 2006

Fui desafiada!!

      

 

       Regulamento:

      "Cada bloguista participante tem de enunciar 5 manias suas, hábitos muito pessoais que os diferenciem do comum dos mortais. E além de dar ao público conhecimento dessas particularidades, tem de escolher 5 outros bloguistas para entrarem, igualmente, no jogo, não se esquecendo de deixar nos respectivos blogues aviso do "recrutamento". Ademais, cada participante deve reproduzir este "regulamento" no seu blogue."

      Como prometido e respondendo ao desafio, lançado pelas colegas das lides escolares  Stôra,  Olho_Azul e  A professorinha  devo enumerar cinco das minhas manias.

      Então cá vai:

      1. Tenho a mania de estragar os meus filhos com mimos... Estas duas criaturinhas conseguem, bem, dar-me a volta! Há tantas crianças que sofrem por não terem carinho... disso julgo que não falta cá em casa!
      2.   Ler, ler, ler - não passo sem os meus livros, companheiros de viagens intermináveis... e onde mais invisto os meus trocados!
      3.  Tenho a mania de manter os livros imaculadamente intactos! Não suporto ver riscar, rasgar, maltratar um livro!
       4.    Não passo sem o meu banho diário - se falta a água ou falha a caldeira... fico "doente"!
       E finalmente:
       5.   O MAR! Não passo muito tempo sem me "alimentar" de mar! Vê-lo, senti-lo, cheirá-lo... Junto dele renovo forças, retempero indisposições, acabo com o mau humor! Tenho a felicidade de o ter a cerca de 30 Kms para facilmente concretizar esta mania!
.
      E agora a parte difícil: acho que já foram todos desafiados nestes dias em que estive afastada... De qualquer forma passo a batata quente a... tcham, tcham, tcham:
 Sancha
 Sofia
 As the world turns - Cristina
 Sapito
Mónica - 2pintas
publicado por Cris às 23:50
link do post | comentar | ver comentários (8) | favorito
Quinta-feira, 9 de Novembro de 2006

Verdades simples... ou simples verdades!

 

     

 

      Ultimamente, os meus dias têm sido destes: mais difíceis!

      Volto quando me passar a neura (n. f. espécie de neurose em que o principal sintoma é um estado de cansaço que não é provocado por anemia, infecção, subnutrição ou qualquer outra doença identificada).

      Nota: queria agradecer os vossos comentários e pedir desculpa por não responder como gostaria. Aguardo melhores dias para vos visitar com tempo e "cabeça"!

           Um beijo!

publicado por Cris às 23:15
link do post | comentar | ver comentários (13) | favorito
Sexta-feira, 3 de Novembro de 2006

Roda-viva

   

 

Tem dias que a gente se sente
Como quem partiu ou morreu
A gente estancou de repente
Ou foi o mundo então que cresceu
A gente quer ter voz activa
No nosso destino mandar
Mas eis que chega a roda-viva
E carrega o destino pra lá
Roda mundo, roda-gigante
Roda-moinho, roda pião
O tempo rodou num instante
Nas voltas do meu coração

          (...)

                   Chico Buarque (1967)

publicado por Cris às 23:10
link do post | comentar | ver comentários (11) | favorito

.mais sobre mim

.Setembro 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. Regresso ao ativo...

. O tempo voa...

. Por aqui...

. Mais uma estrelinha brilh...

. Dizem...

. "Vestido" novo ;)

. Uff...

. o que é o sindrome de ASP...

. Brrrrrr....

. Há sempre...

.Leitura do momento...

Diz-me Quem Sou

.links

.pesquisar

 

.arquivos

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Fevereiro 2012

. Dezembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

.tags

. todas as tags