Sábado, 29 de Abril de 2006

Sem comentários...

publicado por Cris às 01:39
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 28 de Abril de 2006

Cinco Dias, Cinco noites

  ".Com 19 anos incompletos, André viu-se forçado a emigrar. Arranjaram-lhe dinheiro, deram-lhe um endereço para o Porto e disseram-lhe que aí se resolveria a passagem de fronteira para Espanha. As coisas não foram, porém, assim tão fáceis. No Porto, as pessoas a quem ia recomendado garantiram de princípio nada poderem fazer. Só depois de duas enervantes semanas de espera acabaram por indicar um tal Lambaça, contrabandista, que se dizia disposto a levar André para Espanha, mediante o pagamento de mil escudos."

                             Manuel Tiago/ Álvaro Cunhal, Cinco Dias, Cinco Noites

    

 A minha última leitura: o conto Cinco Dias, Cinco Noites, de Manuel Tiago, pseudónimo de Álvaro Cunhal. É o retrato do outro lado do regime político vivido nos finais dos anos 40: o drama de quem se viu obrigado a abandonar clandestinamente o país para ser livre. 

      Relata-se aqui o confronto psicológico entre dois homens que, por motivos diferentes correm pela liberdade. André, um jovem revolucionário, pretende passar a fronteira "a monte" no que conta com a ajuda de um contrabandista em tudo diferente dele. Ao longo de cinco dias e cinco noites, entre desacordos e privações, a antipatia inicial entre os dois homens acaba por dar lugar a um respeito mútuo.

      O final deixa no leitor uma série de interrogações... Vale a pena ler!

livros voando (lindo).gif

publicado por Cris às 23:07
link do post | comentar | favorito

Alimento para o corpo e para a mente...

image001.gif    Olá!

      Hoje deu uma vontade de comer uma fatia de Bolo de Fubá...

      Uma delícia... não muito doce, ligeiramente cremoso. Acho que vou fazer um mais logo:

 

1 ltr. de leite

100 gr de farinha de milho amarelo

100 gr de farinha de trigo

50 gr de côco ralado

300 gr de açúcar

3 ovos

250 ml de óleo

Misturam-se todos os ingredientes, coloca-se o preparado obtido num tabuleiro e vai ao forno (cerca de 1 hora a 150º).

Facílimo!

                                                 

      E, depois de alimentado o corpo, falta alimentar a mente. Lá diz a velha expressão "Mens sana in corpore sano", ou em bom português "Mente sã em corpo são".

      Encontrei, nas minhas passeatas pela net, uma mensagem de esperança simplesmente "deliciosa". Verifiquem em baixo:  

 

Aquarela

  

    Um beijinho e... Sejam felizes! 

publicado por Cris às 15:17
link do post | comentar | favorito

A todos os que me visitam:

publicado por Cris às 00:44
link do post | comentar | favorito

A resposta nas cartas?!

      A minha vida tem estado bastante agitada neste último ano, não em termos físicos mas cá dentro: as preocupações no campo profissional conjugadas com a necessidade de ser mãe, mulher, dona de casa... O balanço que faço não é dos mais positivos.

      Tenho dois filhos maravilhosos que amo mais que tudo, me preenchem e me trazem muita alegria, mas sinto que me falta tranquilidade, e isso prejudica também a minha relação com aqueles que me são mais queridos!

      Por curiosidade dei, então, uma espreitadela no site http://www.libralion.com/haytotal.htm e coloquei a minha questão:

      O que posso fazer para me sentir mais tranquila?   Eis a resposta:

 

publicado por Cris às 00:06
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 27 de Abril de 2006

"Conflitos internos": para meditar!

 

indio.jpg

                                                                                   (desconheço o autor)

publicado por Cris às 23:40
link do post | comentar | favorito

A Relíquia, Eça de Queirós

 
 
      Hoje falo-vos de um clássico - Eça de Queirós!
      Por estes dias reli A Relíquia, de Eça de Queirós e mais uma vez não pude deixar de me divertir com a forma como o autor tece a trama desta obra.
     Apesar da escrita um pouco aborrecida pelas constantes descrições de espaços e costumes, não deixa de valer a pena seguir o protagonista ao longo de um percurso de vida norteado pela ambição desmedida que o obrigava a fingir uma falsa devoção à religião, para agradar à tia rica de quem pretendia herdar todos os bens. No entanto, um mal entendido acaba por o tornar odioso aos olhos da "titi" que o expulsa de casa, deixando-o sem nada.
      Nas últimas linhas, quando pensamos que estamos perante um final moralizante em que a mentira, a ambição, enfim, a hipocrisia não compensam, manifesta-se, nas conclusões do protagonista, a crença de que só não triunfa quem não sabe mentir de forma convincente.
 
    
 
 
      Boas leituras! 
publicado por Cris às 13:12
link do post | comentar | favorito

Pensamento do dia

lib.JPG

   
 
 "Só existem dois dias no ano em que nada pode ser feito, um se chama ontem e o outro se chama amanhã, portanto, hoje é o dia certo para amar, acreditar, fazer e principalmente viver"
                                                                              Dalai Lama

 

publicado por Cris às 00:30
link do post | comentar | favorito

O meu nome em Japonês

       O meu nome em Japonês é realmente estranho! Divirtam-se também conhecendo o vosso! Basta clicar em baixo:

 

Your Japanese Name Is...
Nishi Anenokoji
What's your Japanese Name?

 

publicado por Cris às 00:08
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 26 de Abril de 2006

Ainda Abril e os cravos!

Abril, 1974: O cravo

      Um dia passado sobre as comemorações do 25 de Abril, medito sobre a função do cravo vermelho, estrategicamente colocado no cano das espingardas, e desde esse dia aliado ao sentimento que dominou este movimento revolucionário.  

      Tudo terá começado por coincidência, mas a verdade é que o cravo ficará para sempre associado à revolução de Abril de 74.

"O cravo tornou-se no símbolo da Revolução de Abril de 1974; Com o amanhecer as pessoas começaram a juntar-se nas ruas, apoiando os soldados revoltosos; alguém (existem várias versões, sobre quem terá sido, mas uma delas é que uma florista contratada para levar cravos para a abertura de um hotel, foi vista por um soldado que pôs um cravo na espingarda, e em seguida todos o fizeram), começou a distribuir cravos vermelhos pelos soldados que depressa os colocaram nos canos das espingardas." (Wikipédia)

      O vermelho como cor dominante dos cravos de Abril também foi coincidência mas seviu na perfeição os objectivos da revolução já que esta cor (do fogo e do sangue) é o simbolo fundamental do princípio da vida, com a sua força, o seu poder, o seu brilho.

      Eis aqui algumas curiosidades sobre essa flor tão peculiar e, cada vez mais, tida como símbolo de Liberdade:

"Na linguagem das flores, o significado do cravo muda conforme a cor. Assim, o variegado significa rejeição, o amarelo, desprezo, e o vermelho simboliza o sangue de Cristo.
      O cultivo dessas flores atrevidas remonta a dois mil anos.

      Os atenienses reverenciavam os cravos, chamando-os Dianthos, flor de Júpiter, e com eles faziam coroas e grinaldas, durante os festivais, dando origem à palavra 'coroação'. Devido ao aroma semelhante ao do cravo-da-índia, em inglês são, muitas vezes, chamados gillyfowers, apelido originário da palavra francesa "giroflier" nome também dado aos goivos."

                                                  (lua.weblog.com)

publicado por Cris às 12:00
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.Setembro 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. Regresso ao ativo...

. O tempo voa...

. Por aqui...

. Mais uma estrelinha brilh...

. Dizem...

. "Vestido" novo ;)

. Uff...

. o que é o sindrome de ASP...

. Brrrrrr....

. Há sempre...

.Leitura do momento...

Diz-me Quem Sou

.links

.pesquisar

 

.arquivos

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Fevereiro 2012

. Dezembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

.tags

. todas as tags